terça-feira, 3 de março de 2009

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.É proibido não rir dos problemas
Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,Não transformar sonhos em realidade.
É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos

Não tentar compreender o que viveram juntos
Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,

Ser gentil só para que se lembrem de você,
Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,

Ter medo da vida e de seus compromissos,
Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,

Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se
desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,

Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.
É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,

Não ter um momento para quem necessita de você,
Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,

Não viver sua vida com uma atitude positiva,
Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

- Pablo Neruda -

3 comentários:

Susanna disse...

Surpreendentemente, não concordei com o Neruda!

Tantas proibições, tanto cerceamento... Ser feliz independe do cumprimento de regras.

E sim, quero poder chorar só por chorar, só pra expurgar - e anos mais tarde, chorar pelo mesmo motivo, afinal, não há como se acostumar com certas dores, ou aprender a não se machucar com elas...

Ah, eu tenho medo da vida sim! Fico, por vezes, paralizada, perplexa mesmo frente a tantos dos seus episódios...

E nem sempre dá pra sentir saudades de maneira alegre. Há saudades cortantes demais pra permitir a presença da alegria como bálsamo. Há momentos em que a alegria é cisco nos olhos.

Rir dos problemas?? Não sei fazer isso. Eles precisam mudar de status pra conquistar o meu sorriso; do contrário, tenha certeza, é desespero!

Pra fechar: conte-me quem nunca acordou sem saber o que fazer, como ou por onde começar. Há dias em que até para abrir os olhos é necessário escolher fazê-lo.

É, realmente.... Não consegui reconhecer o Neruda desse texto... Ou não me reconheci nele...

_Vou postar isso no blog num dias desses, tá?

Te amo cabrita!

4tunato disse...

^^'

Luís Felipe Perinei disse...

Lindo, lindo lindo! Era tudo que eu precisava ler hj!
Ai...até roubei, pra colocar no meu blog tb.
Roubo de poeminha num é crime não né?
Te amoooooooooooooooooooo